MicroStrategy Symposium: ajudando a encurtar a jornada rumo à empresa inteligente

Nenhuma instituição está imune à necessidade constante de evoluir. O big data analytics tem um papel determinante não só na hora de lidar com esse desafio, mas, juntamente com as inovações digitais e as tecnologias móveis, também na hora de enriquecer sensivelmente os insights e ajudar a tornar as empresas inteligentes.

Mais do que conhecimento cumulativo, as empresas devem buscar adquirir sabedoria. Ou seja, usar toda a riqueza de informações obtidas em diferentes fontes e transformá-la em ações sábias.

Neste contexto de empresas inteligentes, a tecnologia deve ser vista como o principal agente. Porém, sozinha ela não vai muito longe. Importante agregarmos, sempre, metodologia e processos.

Foi exatamente em torno destas importantes questões e de reforçar a missão da companhia em levar a inteligência para toda a organização, que giraram os temas das palestras e discussões do MicroStrategy Symposium 2018.

O evento, um dos principais do universo do analytics, globalmente, acontece em mais de 20 cidades ao redor do mundo, anualmente e, no Brasil, são duas as edições: São Paulo e Brasília. Reunindo mais de 600 pessoas de todo o país, os objetivos do evento foram mais do que atingidos: associar em um mesmo ambiente elevado conteúdo e aprendizado técnico, com importantes abordagens de negócios, por meio de casos reais e melhores práticas.

A MicroStrategy acredita que uma empresa inteligente é aquela que faz uso do big data, que é orientada por dados e é capaz de antecipar-se a desafios e oportunidades, transformando-os em lucro e crescimento. E as inovações digitais devem ser aplicadas para fazer essas coisas acontecerem. Baseada em sua enorme experiência de líder mundial no fornecimento de plataformas analíticas e software de mobilidade, a companhia desenvolveu e apresentou de maneira inédita a sua nova abordagem. Intitulada Intelligent Enterprise, reúne metodologia e tecnologia visando apoiar as empresas em sua jornada rumo à transformação digital, agregando as principais inovações digitais como IA, machine learning, IOT e mobilidade. Solução  que se propõe a ajudar as empresas a antecipar oportunidades de negócios e incrementar o processo de tomada de decisão.

Foi criado um mapa Intelligent Enterprise para ajudar as empresas a encurtarem este  caminho. Ele enumera todas as necessidades de tecnologia e estrutura que são demandadas para chegar ao nível máximo de maturidade de uma verdadeira Empresa Inteligente. Para apoiar essa iniciativa, foi desenvolvida uma metodologia que ajuda a avaliar, implementar, construir e operacionalizar todo esse processo. Inicialmente, foram identificados sete estágios que classificam o quão madura a empresa encontra-se no que diz respeito a tornar-se uma empresa inteligente. Eles incluem desde as organizações com implementações fragmentadas de analyitcs, passando pelas empresas com implementações departamentais, até o nível máximo, aquelas corporações que já adquiriram uma visão 360º e ambientes únicos, usando ferramentas como IoT (Internet das Coisas), AI (Inteligência Artificial), Telemetria, Big Data, Voice Bots, Realidade Aumentada e Virtual, etc.  O time de consultoria da MicroStrategy realiza esta avaliação, que resulta em um ranking que posiciona como está o projeto do cliente em relação às melhores práticas do mercado. O que traz uma visão clara de como direcionar os investimentos para uma Intelligent Enterprise. Afinal, muitas vezes, o problema é só o dispositivo pelo qual o usuário acessa as informações.

Alguns dos aspectos da Intelligent Enterprise também foram discutidos durante os debates com clientes, que trouxeram as visões das empresas sobre o futuro de suas organizações, da análise dos dados e como isso tem mudado os negócios dentro do que faz sentido para cada área. Foram reforçadas as preocupações relacionadas à Cloud, segurança, big data, qualidade de dados, uso de linguagem natural e assistentes de voz, assim como a importância de envolver as áreas de negócios e tecnologia em um mesmo projeto.  Complementando ainda mais o viés de negócios do evento, Samy Dana, economista e apresentador da Globonews, apresentou as perspectivas e tendências do cenário político-econômico do Brasil e desmistificou a ideia de que os dados por si só bastam, ressaltando a importância de melhor estudá-los e entendê-los.

Melhores práticas e sessões técnicas para  que uma empresa seja inteligente

Casos reais de empresas com visão de futuro que já iniciaram o processo de transformação digital de diferentes setores como, por exemplo, saúde, distribuição de energia e prestadoras de serviços de assistência (Europ), foram apresentados com o intuito de demonstrar como é possível ser bem sucedido na longa jornada rumo à empresa inteligente.

Em Brasília, foram discutidos os pontos que tornaram o projeto de self-service bem sucedido e ajudaram o Paraná a tornar-se o Estado brasileiro com maior fôlego financeiro e a aumentar a sua arrecadação. Além disso, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) apresentou como o analytics foi um dos aliados para enfrentar a crise hídrica e combater perdas comerciais no DF. A instituição tem utilizado o analytics de maneira bem sucedida há alguns anos, o que lhe rendeu inclusive a indicação como um dos cinco melhores  casos de sucesso na área de tecnologia, em toda Esplanada.

Além disso, o MicroStrategy Symposium contou  com sessões exclusivas, que ajudam a fundamentar a estratégia de tornar-se uma empresa inteligente, abordando como agregar valor ao big data, a aplicação da IA (inteligência artificial) em projetos de analytics, geolocalização e a capacidade da empresa em atuar como um hub de BI, trazendo governança e possibilitando análises confiáveis a partir de dados de outras soluções de data discovery.